• 5 dicas para a remodelação de cozinhas

    2ece9e5b5c66f3ee8759eb9a7426e923

    Alô alô!

     

    Um dos meus grandes dons é cozinhar. Pelos cálculos da minha mãe, apresentei o meu primeiro prato para a família inteira aos sete anos de idade! E todos adoraram, segundo consta! Hoje, considero-me uma cozinheira nata, e tenho ainda a grande vantagem de poder aliar este dom a outro enorme prazer que tenho na vida: as remodelações. É claro que, se estivermos a falar de uma remodelação de cozinhas, ainda melhor!

     

    E é este o assunto que quero debater hoje. Já fizeram alguma remodelação de cozinhas recentemente? Eu fiz uma há dois meses, mais coisa menos coisa, e ainda não parei de olhar para o resultado estupendo que ficou! 🙂

     

    Bem, eu confesso que estou tão orgulhosa das minhas ideias que não consigo conter esta vontade de vos contar o que fiz:

     

    1. Substitui os electrodomésticos

    Há já algum tempo que alguns dos meus electrodomésticos me andavam a dar chatices. Por conseguinte, não perdi mais tempo e comprei aqueles que mais precisava de trocar, mas quis que estes novos equipamentos fossem ligeiramente diferentes dos anteriores. Assim sendo, para esta remodelação de cozinhas dei primazia aos electrodomésticos em inox e aos que se pudessem encastrar, também para obter mais algum espaço na divisão.

     

    1. Disse adeus ao frio e ao calor em demasia

     Esta foi, para mim, uma das melhores decisões que tomei nesta remodelação de cozinhas: a colocação de uns estores eléctricos na janela. É que já não suportava o frio que fazia no Inverno e o calor que fazia no Verão! Era deveras insuportável, acreditem! Mas, finalmente, o problema está resolvido. Os estores vão tornar a minha cozinha bem mais fresquinha nos meses quentes e bem mais quentinha nos meses frios. Fiz bem, não fiz?

     

    1. Apostei em plantas e flores

     Uma das coisas que já andava a pensar fazer era colorir a cozinha com algumas plantas e algumas flores. E foi desta! Mandei colocar duas prateleiras na parede, uma na horizontal e outra na vertical, onde assentei alguns vasos bem bonitos e cheirosos. É claro que, na prateleira vertical, tive que suspendê-los com um suporte próprio.

      

    1. Trouxe o clássico para dentro da cozinha

     Eu sou fã dos clássicos. Marilyn Monroe, Elvis Presley, Beatles, tudo o que englobar os anos 50, 60, 70 e 80. Como tal, gosto de transportar os clássicos para a decoração. Os quadros, a mesa principal, a própria iluminação e certos utensílios da cozinha foram apenas algumas opções que tomei, ideias que também podem adoptar, se gostarem igualmente deste estilo. 

     

    1. Alterei o chão e os azulejos

     

    O meu chão e os meus azulejos já mereciam uma reforma nesta remodelação de cozinhas. Desde que comprei a casa, nunca os tinha mudado, daí que pensei que já tinha chegado o momento para o fazer. Como queria uma cor mais clara, comparativamente à que tinha, apostei num bege bem leve para o chão e, para os azulejos, escolhi uma mescla de rosa claro com branco. Se estiverem a pensar fazer as mesmas alterações que eu, tenham em atenção e escolham cores que não vos cansem a vista e que não deixem um ambiente chato e aborrecido. Não se esqueçam de que passam muito tempo na cozinha, logo, a ponderação da escolha das cores deve ser maior.

     

     

    Nunca pensei que a minha cozinha ficasse tão, mas tão fantástica. Aliás, quando a empresa de remodelação de cozinhas terminou o trabalho, eu quase que chorei quando vi o resultado final. Acho que nunca me tinha sentido assim perante uma remodelação!

     

    Já vos aconteceu o mesmo?

     

    Beijokita!*

    Comentários fechados em 5 dicas para a remodelação de cozinhas
  • Truques para decorar uma sala no estilo escandinavo

    2e97b35fee21ca4d04c4acaa07d07d77

    Alô alô!
    Finalmente consegui realizar um dos meus grandes objectivos: abrir um blogue de remodelações! E vocês estão mais do que convidados a virem aqui quando quiserem, pois posso ter publicações novas a qualquer momento! 🙂
    O meu gosto por remodelações surgiu quando fui, pela primeira vez, a casa de uma tia minha que mora na Noruega. Nunca imaginei ver uma decoração assim, ao estilo escandinavo, como ela me explicou. Fiquei tão fascinada com o que vi que, mal cheguei a Portugal, quis aprender tudo sobre este estilo, de maneira a poder aplicá-lo na minha própria habitação e também, futuramente, na das outras pessoas, quando acabar a minha formação.
    E as informações que encontrei foram imensas! Vou contar-vos as que achei mais interessantes e fáceis de aplicar:

    A imensidão do branco: O branco reina num estilo escandinavo, apesar de existir uma ou outra cor mais viva. No entanto, há quem goste deste estilo, por outras características que apresenta, mas não consiga viver rodeada de tanto branco. Se também pensam o mesmo, apliquem uma ou outra cor mais intensa em alguns acessórios, por exemplo, nas jarras de flores, nos bibelots, nos quadros, nas almofadas, etc. Mas é muito importante que não se esqueçam que estas cores nunca se podem sobrepor ao branco, em momento algum!

    Disfarçar o branco: Outro truque, para “enganar” a visão, se realmente o branco vos incomodar, é apostarem em acessórios com padrões geométricos com a mistura do branco e do preto. Um dos padrões repetidos na sala da minha tia era o xadrez, muito bonito por sinal, que estava estampado nas almofadas do sofá.

    Tradicional e moderno: O estilo escandinavo combina imenso o que é tradicional e o que é moderno. Neste sentido, podem sempre arranjar acessórios mais démodé, preferencialmente com cores neutras, para embelezar ainda mais a vossa sala. Cadeiras, relógios, quadros, candeeiros, caixas de arrumação… são apenas alguns dos fantásticos objectos que se usavam há décadas atrás e que podem voltar a ser expostos. E esta pode ser também uma desculpa perfeita para os amantes dos clássicos poderem usar as suas preciosidades como o grande trunfo da sua decoração.

    Ambiente acolhedor: Neste estilo também é permitido o uso de cores neutras, como o cinza e o bege, apesar de a predominância ser o branco, como já se sabe. Todavia, essas cores devem ser aplicadas, por exemplo, à mobília da sala, que se deve apresentar elegante e com linhas bem rectas. Outro factor que determina este tipo de ambiente reconfortante é a iluminação natural, que deve abundar dentro de casa. Por isso, abram bem as janelas da sala e deixem que o sol seja a vossa luz principal durante o dia.

    O que mais me fascina no estilo escandinavo é o facto de conseguir conferir a uma casa um traço minimalista, mas moderno, e proporcionar um ambiente muito confortável e aconchegante. E, para uma pessoa tão simples como eu, posso dizer que este estilo é a minha cara!

    Agora que já sabem um pouco mais sobre mim, deixem-me descobrir coisas acerca de vocês, meus queridos seguidores! Gostam do estilo escandinavo? Que tipo de decoração é a vossa cara?

    Beijokita!*

    Comentários fechados em Truques para decorar uma sala no estilo escandinavo